Posted on

MÃES

 

No início de 2002 voltei para Belo Horizonte com a minha filha. Havíamos passado os dois anos anteriores no Rio de Janeiro. Ela tinha 7 anos.

Eu estava preocupada com os novos desafios que ela precisaria enfrentar: nova escola, novos colegas, novas rotinas.

Escrevi esse poema para ela, há exatamente 10 anos.

Meu desejo era que ela pudesse perceber um dia, que é verdade, que tudo muda. Mas que também é verdade que algumas coisas não mudam nunca. O amor, por exemplo.

Hoje, publico esse texto como minha homenagem pessoal a todas as mães – as que eu conheço e as que eu não conheço. A todas nós, que de forma íntima e definitiva, como dizia Caetano, sabemos a dor e a delícia de sermos o que somos.

Feliz dia das mães!

Foto - 5 gerações da Família de Andrea 

Para minha filha

Quando chegar o primeiro dia de escola nova
e os corredores parecerem muito compridos
e as escadas muito altas,
quando forem muitos os rostos desconhecidos
e o tempo dormir sobre as horas,
não se preocupe,
a hora da saída vai chegar e
eu vou estar lá.

E quando vierem as noites intranqüilas
de febre e sono agitado,
quando pedacinhos de medo
parecerem vagar pelo escuro do quarto,
aperta com força a minha mão
porque mesmo que você não saiba nunca,
eu vou estar lá.

E quando caírem os seus dentes
e você aprender a nadar,
quando você ficar muito contente
com as voltas que o mundo dá,
repare que nas mudanças
eu não mudei de lugar,
eu vou estar lá.

E quando você conhecer
o momento de se despedir,
e o papai noel e a fadinha dos dentes
deixarem de existir,
quando o peito parecer apertar
e o coração ficar pesado, difícil de carregar,
procure por mim
porque, com certeza,
mesmo que você não se lembre,
eu vou estar lá.

E quando chegar o tempo
das tardes de chuva fina
e chegar a vez das noites
mergulhadas em estórias antigas,
quando você precisar de alguém
que lhe ensine a primeira oração
e que a ajude a não esquecer nunca
que o que vale a pena
está escrito em cada coração,
fique tranqüila:
eu vou estar lá.

E quando os ventos forem fortes ou fracos demais
e as calmarias longas ou rápidas demais,
quando você quiser que de pé, na beira do cais,
alguém lhe acene a cada partida
e a abrace em cada chegada,
não se preocupe
olhe bem sob a neblina
porque,
faça sol ou faça chuva,
faça choro ou alegria ,
eu vou estar lá.

E mesmo que o tempo passe
e eu não possa mais lhe abraçar,
mesmo quando eu for para todos
apenas um retrato em algum lugar,
mesmo assim,
sempre que você precisar,
respire fundo, com calma e vagar
e no silêncio do seu coração
você vai saber:
eu sempre vou estar lá.

2002

33 pensamentos em “MÃES

  1. Que lindo poema! Mãe é isso mesmo, um porto seguro. Me sinto menos completa desde a partida da minha, mas feliz com todos os anos de carinho, compreensão e cumplicidade que vivemos. Feliz dia das mães. :)

  2. Mágico, deu pra sentir uma “pontadinha” no fundo do coração a cada frase do poema, é realmente o amor de mãe que está ali pra todas as horas e momentos, onde a preocupação maior primeiro e com os filhos e depois consigo mesma

  3. Emocionante o seu poema. Traduziu em palavras um sentimento quase inexplicável. Parabéns pelo post e pelo dia das mães!

  4. Querida Andrea,

    Sua sensibilidade é incrível. Você consegue transmitir paz nos textos com uma clareza que tenho certeza que é iluminada pelos nossos irmãos desencarnados. Esses seres de luz iluminam sua alma. Sua alegria de viver é um exemplo de superação e ajuda muitos outros seres a comprirem sua missão neste plano. Parabéns !

  5. Que poesia maravilhosa, Andrea.
    Chorei muito, pq não tenho mais mãe e sempre, em todos os momentos, eu soube que ela estava lá. Vc conseguiu traduzir perfeitamente o que é ser mãe. O que é proteger.

  6. Minha mãe se foi quando eu não tinha completado 11 anos! E, em todos os dias de minha, eu sei, eu sinto, que ela está ao meu lado! Por isso tenho certeza que as mães sempre estão onde precisamos delas. Espero que todos os filhos e filhas possam perceber esta presença. Lindo o seu poema! Linda sua homenagem! Parabéns Andréa mãe e filha!

  7. Chorei muito com seu poema. Se soubesse que minha estava sempre estava a meu lado… quanta saudade. Quanta lembrança boa.

  8. Andrea, Lindo poema.O Amor de Mãe não tem tempo , espaço e nem fronteiras!!!! O sentimento é realmente de Amor incondicional , protetor e de muito carinho!!!! Feliz Dia das Mães!!!!

  9. lindo demais..sou Mãe solteira de uma criança de 10 anos …perdeu o Pai dela agora e estou bem triste..Mas tudo passa não é??

  10. Lindo! Mãe é sempre presença, mesmo quando não se vê ou sente… E não há nada melhor do que poder ser essa presença eterna para quem mais amamos na vida.
    Parabéns, Querida Andrea!

  11. Que lindo. Mensagens assim só nos fazem termos certeza de que a decisão por nós tomadas de nos tornarmos mães, foi, sem sombra de dúvidas, das mais acertadas e felizes.Amo ser mãe. Obrigado Andrea por tão delicadas palavras, que soam como uma oração.

  12. Andrea,

    sempre percebi que minha mãe esteve presente em todos os momentos. Sempre. Uma pena eu não ter podido falar pra ela que eu sempre soube que ela estava lá.

    Que inveja da sua filha!!!

  13. Andrea, sempre contei com minha mãe. Infelizmente, tem três anos que ela se foi e mais um dia das mães passarei sem a sua presença física. A tristeza é enorme mas sinto que ela não me abandonou nem por um minuto. Eu a amo demais! O amor de mãe é sublime! É eterno! Parabéns pelo dias das mães.

  14. Lí emocionada e com lágrimas nos olhos, fazendo a correlação com a minha mãe , os meus filhos , o meu neto.

    Obrigada por dividir conosco momentos tão íntimos .

    Feliz Dia das Mães.
    Com muito carinho,
    Rosa

  15. Andrea, eu acho que mesmo sentindo, mesmo amando poucas pessoas tem o dom de escrever. Este poema ē a sintese de todos os sentimentos de uma mãe. Eu amei e tenho uma certa inveja branca de voce ter conseguido mostrar tudo que gostaria de ter escrito e nunca conseguido. Imprimi e vou dar para meus filhos lerem, lindo que Deus abençoe e que voce sempre possa colocar em palavras nosso sentimento . Bjs

  16. Prezada Andrea,
    Os verdadeiros escritores sao aqueles que desnudam nossa alma. Te admiro muito, vc. e uma inspiracao para mim e muitas maes e mulheres.
    Com apreco,
    MOnica Lipiani

  17. é o que mais queremos que nossos filhos sintam…queremos que sejam felizes, que tenham sucesso, se realizem…mas, viverão suas proprias historias, escreverão seu roteiro, tentamos ficar atentos pra que não sofram tanto, ou não cometam os mesmos erros que nós, mas , o mais importante é que sintam,mesmo, que em todas as situaçoes., aqui ou em outra dimensão, estaremos sempre ao lado, porque mesmo longe, estaremos dentro, pra sempre…

  18. Andrea,sua poesia transmite a fala da alma materna com total fidelidade.Parabéns!As mães,todas, são protetoras e se pudessem administravam até os pensamentos dos filhos.E tem mais,depois que temos filhos nos tornamos criança afetivamente. Sentimos e vivemos com nossos filhos cada momento.Minha mãe diz assim:- agora que você tem filho,acabou o sossego.Mas é sempre com alegria, e como você disse: sempre com amor que cuidamos deles. Esse amor é que dá o tom à vida e faz a gente ser o que somos diante deles.

  19. Minha querida, este poema que vc escreveu a 10 anos esta guardado e emoldurado na parede da minha casa, toda vez que leio me emociono, como agora. Puro amor! Lindo!
    Um beijo com carinho,
    Cláudia

  20. Lindo e verdadeiro. Suave e intenso. Pode-se perceber o batimento do coração no ritmo de seus versos. Imagino que talvez esteja aí o vigor do sentimento, no momento da criação. Interessante ler este poema seu hoje, no fecho do dia, pois logo de manhã eu disse a uma amiga, quando ela revelava os feitos de seu filhote, que tem três aninhos, sobre o decodificar dos olhares, do conforto que mostram quando sentem a nossa presença. Repito a vc o que eu disse a ela: ‘é a cumplicidade’. Somos cúmplices. E vc também revelou isto. Coisas da alma, querida Andrea. bjs.H.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>